Notícias

Fernando Grupo Casoto dá dicas de como a família deve lidar com o dependente químico

Fernando sabe que só quem tem um dependente químico na família, sabe o quanto é difícil vê-lo lidar com o problema.

A falta de informação, o preconceito, e a vergonha de pedir ajuda, são apenas uma das barreiras enfrentadas por essas pessoas.

Fernando Casoto listou aqui, algumas dicas importantes para que os entes queridos saibam como lidar com o dependente químico, ajudando-o da melhor forma possível.

Reconhecendo e enfrentando o problema

Fingir que o problema não está acontecendo, com certeza é a pior solução que alguém poderia encontrar para lutar contra a dependência química. A maioria dos dependentes não sabem como se libertarem do vício.

Muitas vezes é preciso recorrer à internação involuntária, para salvar a vida dos dependentes químicos. Nesses casos, a família deve autorizar e dar entrada no processo de internação.

Pesquisando bem, é possível encontrar as melhores clínicas de reabilitação do país, de renome e prestígio. Uma delas é o Grupo Salvando Vidas, que há 16 anos faz um trabalho de reabilitação e tratamento com os dependentes químicos de todas as faixas etárias.

Para quem deseja conhecer mais sobre o trabalho da Clínica de Recuperação Grupo Nova Vida, basta acessar o site:

Fernando Grupo Casoto dá dicas de como a família deve lidar com o dependente químico
Fernando Grupo Casoto dá dicas de como a família deve lidar com o dependente químico

Ações positivas

  • Apoie: as amizades sinceras e os familiares dos dependentes químicos, devem apoiá-los na jornada da reabilitação. Julgar, condenar e criticar, não irá reverter o caso.
  • Ouça o que o dependente tem a dizer: para ser um bom amigo, esteja disposto a ouvir o que ele tem a dizer, deixando-o desabafar as suas frustrações e lutas diárias.
  • Observe o seu comportamento, e mostre que você se importa: o dependente químico não consegue enxergar sozinho, que precisa de ajuda. Por isso, ao perceber um comportamento autodestrutivo e tóxico, não hesite em interferir e dizer o que você pensa.

 Isso mostra não só que você se importa, mas também que está sendo um bom amigo e deseja o bem para a pessoa.

  • Atente-se aos detalhes: um comportamento agressivo fora do comum, marcas de agulha no corpo, perda de peso iminente, falta de apetite e olhos vermelhos, são apenas alguns dos sinais de que a pessoa está abusando do consumo de drogas.
  • Maior ocorrência de conflitos sociais: um dependente químico, geralmente se envolve em conflitos sociais frequentes, como: brigas com outras pessoas em festas (por causa de drogas), com autoridades de trânsito, no trabalho ou na faculdade.
  • Identifique quais as drogas usadas pelo dependente: é provável que o dependente químico use mais de uma droga, por isso para começar o tratamento, identifique quais as substâncias usadas por ele, observando o seu comportamento.

Geralmente, as substâncias mais pesadas causam efeitos colaterais mais fortes, como: irritabilidade, paranoias, falta de equilíbrio emocional, físico e alucinações constantes.

Fernando concluiu dizendo que lidar com um dependente químico ou alcoólico, não é fácil em nenhum momento. O medo, a tristeza e o sofrimento dos familiares é enorme.

Nesses casos, somente o apoio, o amor, a paciência e a determinação, são capazes de vencer a dependência e isso é extremamente possível no Grupo Casoto.

Se você quer saber sobre o trabalho desenvolvido por Fernando Grupo Casoto acompanhe ele através de seus canais oficiais:

www.instagram.com/fernando.grupocasoto/

https://www.facebook.com/grupocasoto/

https://www.grupocasoto.com.br/

WhatsApp: (11)94797-6909

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: