Novela Amor de Mãe aborda Barriga de Aluguel

0

No episódio de ontem (30), a novela Amor de Mãe, abordou o tema “Barriga de aluguel”, esse assunto que é tabu no Brasil e em alguns lugares do mundo, foi discutido, quando o personagem Magno (Juliano Cazarré), juntamente com Lídia (Malu Galli), resolveram perguntar para Leila (Arieta Corrêa), ex de Magno, se ela aceita doar seus óvulos para que eles possam fazer uma barriga de aluguel nos Estados Unidos, em troca de dinheiro.

A digital influencer Camila Pavan, que recentemente teve sua filha Pietra de 9 meses, através de uma barriga de aluguel, explica como funciona esse processo.

A gestação por substituição ou barriga de aluguel, como é popularmente conhecida, é realizada por casais que não podem engravidar, pessoas solteiras que desejam ter um filho com seus genes ou por casais homoafetivos. Neste processo o solicitante paga por uma clínica, que vai gerar o embrião por fertilização in vitro, este embrião é introduzido no útero de uma mulher, que carrega o bebê por nove meses até o nascimento da criança, que quando nasce é entregue aos pais que contrataram a barriga.

A grande maioria dos casais que buscam o útero de substituição, o fazem quando a mulher não pode engravidar, seja por não possuir útero ou pela presença de doenças graves preexistentes. Este é o caso de Camila, que sofre de distrofia muscular e por este motivo não consegue completar o período total de gestação.

Tentante por mais de 10 anos, nesse período, Camila sofreu 2 abortos espontâneos e optou por fazer uma barriga solidária com a cunhada, mas a mesma também sofreu um aborto, em razão disto, decidiu fazer a barriga de aluguel, e foi na Ucrânia onde ela encontrou segurança para dar vida a sua filha.

Em seu canal no YouTube Camila fala com mais detalhes sobre o assunto, confira: https://www.youtube.com/watch?v=t8T5EyqK35o&feature=youtu.be

Proibido no Brasil

No Brasil a barriga de aluguel não é permitida, pois no nosso ordenamento jurídico, não se pode mercantilizar esse tipo de prática, assim como acontece na doação de órgão. A advogada Michelle Rocha especializada em direito da família, conta que tudo deve ser de forma voluntária, para doar a barriga é preciso que a mulher seja familiar de até 4º grau de parentesco com os futuros pais.

A barriga pode ser doada por não parentes do casal, mas é necessário que seja solicitada uma autorização ao CFM. Todas essas normas são regulamentadas pelo Conselho Federal de Medicina, através de resoluções.

Redes sociais:

Camila Pavan: https://www.instagram.com/camilapavan/

Advogada: https://www.instagram.com/advogadamichelleoficial/

DEIXE UMA RESPOSTA

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.