Aparecida Debate discute a realidade da “Moradia no Brasil”

0
aparecida debate
Foto:Divulgação/TV Aparecida

O Aparecida Debate, que vai ao ar nesta terça-feira (27/05), às 21h30, traz um tema de grande importância social: Moradia no Brasil. Mediado pelo jornalista Eduardo Miranda, o programa da TV Aparecida enfatiza que a falta de um teto digno é uma realidade para milhões de pessoas, que vivem em favelas ou lugares considerados precários. Ou seja, sem infraestrutura básica, como distribuição de água, rede de esgoto, energia elétrica e pavimentação.

A produção ainda inclui ao debate casos de famílias que ocupam terrenos irregulares, constroem barracos e convivem com o perigo e o medo nas áreas de risco. Uma clara violação a um direito fundamental, reconhecido pela ONU (Organização das Nações Unidas).

O programa fez uma projeção do déficit habitacional e constatou que em todo o Brasil o índice é de 7,9 milhões de moradias. Isso quer dizer que quase oito milhões de famílias não têm uma casa para morar.

Algumas perguntas que serão debatidas dentro do tema da semana são: o que é e como podemos caracterizar uma moradia digna? O que provoca a falta de moradia no Brasil? Como resolver esse problema habitacional que afeta milhões de pessoas em nosso País? De quem é a responsabilidade e como podemos cobrar?

E para responder essas questões, participa do programa Luiz Tokuzi Kohara, engenheiro civil, mestre em engenharia urbana e construções civis, doutor em arquitetura e urbanismo, pós-doutorando na área de sociologia urbana e pós-doutorado na área de habitação. Também é assessor do Centro de Apoio a Iniciativas Sociais e da Pastoral Nacional do povo da rua.

Outra convidada é Erminia Maricato, doutora em Arquitetura e Urbanismo pela USP (Universidade de São Paulo). Também foi ministra adjunta do Ministério das Cidades e secretária municipal de Habitação e Desenvolvimento Urbano de São Paulo. Atualmente, é membro/fundadora da Coordenação Nacional do BRCidades.

Aparecida Debate, terça-feira, às 21h30

DEIXE UMA RESPOSTA

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.