Redação

Reportagem da TV Aparecida destaca a extrema pobreza do estado do Piauí

Dados alarmantes da fome serão mostrados

Nesta quinta-feira (23), às 21h15, o “Arquivo A” exibe mais um episódio da série “Desafios da Igreja”. Nesta edição, a reportagem da TV Aparecida falará sobre a fome no Brasil, a extrema miséria do estado do Piauí e o trabalho da igreja católica junto à população.

O programa vai mostrar que a insegurança com relação à alimentação se agravou de forma alarmante no Brasil. Segundo dados levantados, em 2021, o problema atingiu cerca de 36,7% dos domicílios.

A produção vai destacar a atual situação do Piauí, estado brasileiro onde 43% da população, ou seja, quase metade, vive em situação de pobreza. A baixa renda da população local é outra realidade assustadora: 1,4 milhão de pessoas vivem com apenas R$ 436 mensais no estado. Enquanto a pobreza atinge quase metade da população, a extrema pobreza atinge quase 15%. Ao todo, são 457 mil pessoas vivendo com até R$ 151 mensais no estado do Piauí.

E para mostrar essa triste realidade, a equipe de reportagem do “Arquivo A” percorreu cinco cidades piauienses diferentes. Foram entrevistados cidadãos que sobrevivem com menos de 100 reais por mês.

“Desafios da Igreja – A Fome dos Invisíveis” também vai mostrar como os piauienses convivem com o clima semiárido, onde falta chuva por até 10 meses. A equipe visitou comunidades que utilizam as cisternas calçadão para abastecerem as casas e também para cuidar dos animais e das plantas. O programa também vai abordar a contradição da instalação de grandes projetos federais e os impactos ambientais e sociais na região.

Ainda na reportagem, os jornalistas Camila Morais, João Éder e Diego Rosa vão destacar o trabalho da igreja para promover a geração de renda e o combate à fome por meio de programas da Cáritas Brasileira.

“Arquivo A”, quinta-feira, às 21h15

Facebook Notice for EU! You need to login to view and post FB Comments!

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: